Itaú Cultural dá destaque à música autoral em quatro dias de programação
TEATRO

Itaú Cultural dá destaque à música autoral em quatro dias de programação

Compartilhe

Entre os dias 14 e 17 (quinta-feira a domingo) o Itaú Cultural realiza um mergulho na música autoral brasileira com diferentes gêneros e estilos. Quem começa essa série de apresentações, na quinta-feira, às 20h, é João Taubkin. Ele apresenta ao público seu mais recente disco, Kândra, junto a um time de instrumentistas. No dia seguinte, às 19h, é a vez de Gian Correa e Rogério Caetano, ambos violonistas solistas de sete cordas que se reuniram para a realização do álbum 7, em homenagem ao centenário de Horondino José da Silva, o Dino 7 Cordas, que foi um grande expoente do instrumento. Juliana Perdigão, no sábado, às 20h, destila as canções de Folhuda, seu terceiro disco solo da carreira, lançado no início deste ano. No domingo, às 19, Conversa Ribeira encerra com música caipira esta série de shows.

Em Kândra, João Taubkin reúne amigos de profundo vínculo afetivo e musical para a composição de um repertório autoral, com influências do jazz e do rock. Ele convida o público para uma imersão sinestésica em uma atmosfera repleta de paisagens sonoras inéditas. No palco da Sala Itaú Cultural, Taubkin se apresenta na voz e baixo, Rodrigo Bragança na guitarra, Sérgio Resende na bateria e Zé Godoy no piano. No repertório estarão as canções Miragem, X, Kândra, Lili, Simples, Eilat, Sophia descobrindo o mundo, Ponto de mutação e Outlander

Gian Correia e Rogério Caetano, no dia seguinte, apresentam as músicas do álbum 7, que realizaram juntos, em 2018, em homenagem ao centenário de Horondino José da Silva, o Dino 7 Cordas, responsável por revolucionar a linguagem do violão no país. Este projeto reuniu pela primeira vez na história fonográfica brasileira dois violonistas de sete cordas de aço solistas, demonstrando nas composições e arranjos toda a riqueza e virtuosidade da música instrumental brasileira contemporânea.

No sábado, Juliana Perdigão leva seu mais recente disco, Folhuda, lançado no início deste ano, para o instituto. O trabalho é composto por canções de autoria de Juliana, todas elas feitas a partir de poemas escritos por poetas brasileiros, como Oswald de Andrade, Paulo Leminski, Murilo Mendes e os contemporâneos Arnaldo Antunes, Angélica Freitas, Fabrício Corsaletti, Renato Negrão e Bruna Beber. No show, além das músicas do disco, Juliana, na guitarra e voz, Moita, na guitarra, Gongom, na bateria, João Antunes, no baixo, e Paulim Sartori, no teclado, apresentam canções de Jards Macalé, Torquato Neto, Haroldo e Augusto de Campos.

O trio Conversa Ribeira, que já possui quase 20 anos de carreira, leva para este show o repertório do terceiro álbum, Do Verbo Chão. Nele, Andrea dos Guimarães, na viola caipira e canto, João Paulo Amaral, no piano, e Daniel Muller, no acordeom, tecem um desdobramento singular da música caipira. Cultivam, ao mesmo tempo, o vínculo essencial com a tradição e a liberdade para recriá-la. Seus integrantes, nascidos em cidades interioranas, elaboram uma sonoridade repleta de encantamento com a riqueza e a profundidade que vislumbram no repertório clássico caipira, tanto no que se refere aos conteúdos musicais quanto à experiência humana, aos saberes e sensibilidades.

Sobre os artistas

Conversa Ribeira alinhava o canto de Andrea dos Guimarães, a viola caipira e o canto de João Paulo Amaral e o piano e o acordeão de Daniel Muller. O trio segue o caminho que escolheu percorrer desde sua origem, em 2002. Nesse meio tempo, apresentou-se por todo o país e também no exterior – representou o Brasil em festivais no México e em Portugal, no Festival Ollin Kan de Culturas de Resistência.

Após lançar o primeiro disco, em 2007, foi selecionado no Projeto Pixinguinha, da Funarte, em 2007, e no programa Rumos Itaú Cultural, em 2008. Recebeu, em 2011, o prêmio Inovação do Festival Voa Viola e, em 2014, o prêmio Cata-vento, da Rádio Cultura AM, de Melhor Grupo de Música Raiz. O segundo álbum, Águas Memórias, lançado em 2013, aprofundou suas pesquisas no repertório clássico caipira, além de apresentar composições dos próprios integrantes do trio. Ao longo de sua trajetória, apresentou-se ao lado de artistas consagrados como Guinga, Inezita Barroso, Mônica Salmaso e Paulo Freire.

Gian Correa é violonista sete cordas, compositor, arranjador e produtor musical. Seu primeiro trabalho autoral, Mistura 7, de 2013, foi lançado no palco do Auditório Ibirapuera. Participou em palco e gravações com artistas como Zeca Baleiro, Germano Mathias, Nelson Ayres, Gilberto Gil, Tom Zé, Emicida, Criolo, Toninho Ferragutti, Mestrinho, Yamandu Costa, Monarco da Portela, Nelson Sargento, Fabiana Cozza, Laércio de Freitas, Altamiro Carrilho, Nailor Proveta. Apesar da pouca idade, já tocou com estes e outros artistas em palcos pelo mundo como Concertgebouw, em Amsterdã, Palau de la Musica Catalaña, em Barcelona, Casa da Música, na cidade do Porto, Teatro de Bellas Artes, em Bogotá, Clube do Choro, de Paris, Zappa, em Tel Aviv, Casa do Brasil, em Madri, Durov Club, em Moscou, e Usadba Jazz Festival Ecaterimburgo também na Rússia.

Juliana Perdigão é cantora, compositora. Toca clarinete, flauta e clarone. Atuou como instrumentista e cantora em colaboração com diversos grupos e artistas, entre eles Tom Zé, Tulipa Ruiz, Jards Marcalé, Teatro Oficina, Graveola e o Lixo Polifônico, Romulo Fróes, Ná Ozzetti e Ava Rocha. Tem dois discos lançados: Desconhecido, de 2012 e Ó, de 2016.

João Taubkin é contrabaixista, cantor, compositor, arranjador e improvisador de grande versatilidade, tem influências de jazz, música africana, rock e de ritmos da tradição popular brasileira. Tocou com Paulo Moura, Criolo, Carlos Aguirre, da Argentina, Antonio Arnedo, da Colômbia, Mônica Salmaso, Mehdi Nassouli, do Marrocos, Izaías de Almeida, Giovanni Guidi, da Itália, Luiz Brasil, Charles da Flauta, Gigante Brasil , Madhup Mudgal, da Índia, Roberto Mendes, entre outros.

Em 2018 lançou nas plataformas digitais seu projeto com a cantora e compositora moçambicana Lenna Bahule – Taubkin & Bahule. Nesse ano também realizou shows e gravou o projeto de música infantil Catopleia, com músicas de Luz Marina e Edith Derdyk, que será lançado em 2019. Realizou também apresentações com a escritora e cantora Natália Barros na primeira feira literária da Mantiqueira (FLIMA). Sua música Pro Itamar foi trilha sonora dessa feira. Outro destaque importante foi a realização de shows ao lado de grandes nomes da música baiana, como Virgínia Rodrigues, Roberto Mendes, Tiganá Santana, Jussara Silveira e Lazzo Matumbi.

Rogério Caetano é violonista sete cordas, arranjador, produtor musical e compositor brasileiro. Bacharel em Composição pela Universidade de Brasília (UNB), é referência do violão de 7 cordas. Com uma linguagem revolucionária, representa uma nova escola desse instrumento. Possui oitos álbuns lançados, três deles indicados ao Prêmio da Música Brasileira, respectivamente em 2007, 2013 e 2016, sendo agraciado no último ano em que concorreu. Em 2015 foi premiado no

Independent Music Awards (IMA) e, em 2017 e 2018, no Prêmio Profissionais da Música. Vem difundindo sua arte no Brasil e exterior realizando concertos em países como Alemanha, França, Itália, Espanha, Áustria, Portugal, Holanda, Bélgica, EUA, China, Índia, Israel, Turquia, África do Sul, e Equador. Já gravou com artistas como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Beth Carvalho, Caetano Veloso, Monarco, Dona Ivone Lara, Maria Bethânia, Nana Caymmi, Ivan Lins, entre vários outros.

SERVIÇO:

João Taubkin

Dia 14 de novembro (quinta-feira) Às 20h

Classificação indicativa: livre

Duração: 80 minutos

Gian Correa e Rogério Caetano

Dia 15 de novembro (sexta-feira) Às 19h

Classificação indicativa: livre

Duração: 70 minutos

Juliana Perdigão

Dia 16 de novembro (sábado) Às 20h

Classificação indicativa: livre

Duração: 80 minutos

Conversa Ribeira

Dia 17 de novembro (domingo)

Às 19h

Classificação indicativa: livre

Duração: 80 minutos

Sala Itaú Cultural

224 lugares

Entrada gratuita

Distribuição de ingressos:

Público preferencial: uma hora antes do espetáculo (com direito a um acompanhante)

Público não preferencial: uma hora antes do espetáculo (um ingresso por pessoa)

Itaú Cultural

Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô

Fones: 11. 2168-1777

Acesso para pessoas com deficiência

Ar condicionado

Estacionamento: Entrada pela Rua Leôncio de Carvalho, 108

Se o visitante carimbar o tíquete na recepção do Itaú Cultural:

3 horas: R$ 7; 4 horas: R$ 9; 5 a 12 horas: R$ 10.

Com manobrista e seguro, gratuito para bicicletas.

www.itaucultural.org.br https://www.facebook.com/itaucultural https://www.instagram.com/itauc