CAIXA CULTURAL São Paulo apresenta “Todo Camburão Tem Um Pouco De Navio Negreiro” do grupo cearense Nóis de Teatro.

CAIXA Cultural São Paulo apresenta de 15 (quinta-feira) a 20 (terça-feira) de Novembro, sempre às 19h15, o espetáculo teatral Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro. Criação do grupo cearense Nóis de Teatro, a peça discute a criminalização e perseguição da juventude negra das periferias, debatendo também a desmilitarização da política brasileira.

Dividido em três atos, a trama com direção de Murillo Ramos e dramaturgia de Altemar Di Monteiro narra à saga de Natanael, um menino negro que inserido em um contexto de opressão e violência é levado a tomar decisões que lhe custarão um julgamento popular. O público é convocado a decidir sobre o destino de Natanael, provocando um forte debate sobre o extermínio da juventude negra nas periferias. Após as apresentações, haverá debate com a platéia.

O espetáculo contemplado no Prêmio Funarte da Arte Negra teve mais de 50 apresentações por todo o país, passando inclusive pela CAIXA Cultural de Fortaleza. Em São Paulo, a peça se encerra no dia 20 de Novembro, terça-feira, data que marca o “Dia da Consciência Negra”.

Nóis de Teatro

Nóis de Teatro atua desde 2002 na periferia de Fortaleza. Nesses 16 anos, o grupo desenvolve projetos culturais (circulação de espetáculos e oferta de cursos, intercâmbios e oficinas de teatro e percussão)no Território de Paz do Grande Bom Jardim, tornando-se uma das referências nacionais de trabalho artístico desenvolvido em periferia.

Junto a este conjunto de ações, o coletivo também acabou de lançar uma publicação celebrativa de 15 anos de atuação: o livro Caminhares Periféricos — Nóis de Teatro e a potência do caminhar no teatro de rua contemporâneo, material que discute os meandros poéticos e políticos da ação do Nóis de Teatro na periferia de Fortaleza.

A pesquisa estética do grupo tem como matriz um olhar político sobre a sociedade, apoiando-se na poética democrática dos espaços públicos como lugar de encenação e descobertas. As vertentes do Teatro Épico Dialético e suas interfaces com a performance do ator de rua contemporâneo tem sido o mote para a sua construção poética, refletida no seu atual repertório de espetáculos: “A Granja“, “Despejadas“, “Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro“, além das performances anuais da sua intervenção urbana “O Jardim das Flores de Plástico“.

Ficha Técnica

Coordenação Geral: Altemar Di Monteiro.

Direção: Murillo Ramos.

Dramaturgia e Assistência de Direção: Altemar Di Monteiro.

Elenco: Carlos Magno Rodrigues, Doroteia Ferreira, Kelly Enne Saldanha, Altemar Di Monteiro, Henrique Gonzaga, Amanda Freire e Maurício Rodrigues

Contraregragem: Bruno Sodré, Edna Freire e Nayana Santos.

Cenografia: Jefferson Saldanha

Figurino: Miguel Campelo

Bonecos: Carlos César

Maquiagem: Kelly Enne Saldanha

Direção Musical: Maurício Rodrigues

Produção: Nóis de Teatro

Produção Local: Telma Dias

 

Serviço:

“Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro”

Local: CAIXA Cultural São Paulo (Praça da Sé, 111 – Centro) – próximo à estação Sé do Metrô

Data: de 15 a 20 de Novembro de 2018. (Quinta a terça-feira)

Horário: 19h15

Informações: (11) 3321-4400

Classificação indicativa: 16 anos

Capacidade: 80 lugares

Duração: 100 minutos

Entrada franca: ingressos distribuídos a partir das 9h do dia do evento

Acesso para pessoas com deficiência

Patrocínio: CAIXA e Governo Federal.

Compartilhe!
Categories: TEATRO