Drosophyla Bar participa da Jornada do Patrimônio

Compartilhe

O lindo casarão do Drosophyla Bar faz parte da programação da Jornada do Patrimônio 2018, pelo terceiro ano consecutivo. Construído em 1920 em um antigo terreno pertencente a Dona Veridiana Prado, aristocrata e intelectual paulistana,  a casa em estilo cottage com influência germânica projetada pelo arquiteto Abelardo Soares Caiuby, apresenta em seu glamoroso interior a atmosfera  e a forma opulenta de como vivia a burguesia da época. Destaque para as pinturas nas paredes das salas principais, os lustres do térreo que são originais,  as ferragens (maçanetas e dobradiças)  de origem europeia e o piso incrível no estilo marchetaria, constituído por um mix de madeiras brasileiras nobres, algumas (infelizmente) já extintas.

A casarão foi integralmente restaurado e conservado pela empresária Lilian Varella,  e hoje é o endereço do irreverente Drosophyla Madame Lili (Lili Wong) – personagem fictícia que inspirou  a empresária na escolha do conceito e história do bar. “ Imagino os saraus, exposições e festas organizados por Lili Wong e seu marido alemão Hans, neste magnifico casarão. O Drosophyla é uma viagem no tempo, que traz memórias e historias de uma bela época, o encontro do antigo com o contemporâneo”, comenta Lilian.