TEATRO

Premiado texto ‘Política da Editora’ estreia na SP Escola de Teatro Roosevelt no dia 1º de junho

Compartilhe

Qual é o percurso que uma obra de arte faz até chegar ao público? Esse é o ponto de partida da peça “Política da Editora”, criação do dramaturgo Eduardo Aleixo publicada pela Editora Giostri. O espetáculo chega aos palcos pela primeira vez com direção de Cintia Lopes entre os dias 1º de junho e 2 de julho, na SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt, com sessões às sextas, sábados e segundas, às 21h; e domingos, às 19h, totalizando 20 apresentações. Os ingressos custam até R$ 30 e são vendidos somente na bilheteria e em dinheiro.

No texto carregado de ironia, um escritor luta para ter seu livro integrando o catálogo de uma grande editora. Escritor, Editor, Revisora e Tradutora entram em conflito em uma sala de reuniões. Pouco a pouco, são revelados os mecanismos de poder que permeiam as relações entre arte e mercado, convertendo uma obra em fetiche de mercadoria.

Para contar essa história, Cintia Alves buscou referências modernistas. “A ideia que norteia todos os elementos estéticos da peça é provocar um estranhamento, assim como uma dialética do entendimento, não só entre texto e subtexto, mas também entre uma dramaturgia realista e uma encenação expressionista”, conta.

Escrita em 2015, a peça venceu o Concurso Jovens Dramaturgos do SESC, recebeu menção honrosa no Programa Nascente da USP e obteve o segundo lugar no Prêmio Martins Pena da União Brasileira de Escritores. “O texto é sobre escrever, publicar e ler. A ideia é inserir o público nessa cadeia produtiva, para que ele se aproprie dela. Terminar de escrever um livro muitas vezes não é o fim, mas o começo da jornada. O percurso da obra de arte até chegar ao público pode ser tão intrigante quanto as trajetórias de Josef K. ou Bartleby”, comenta o autor do espetáculo.

Formado em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco, Aleixo estudou Dramaturgia na Escola Livre de Teatro de Santo André, com Solange Dias, na SP Escola de Teatro e no SESI-British Council, com Marici Salomão, e no Teatro J. Safra, com Cintia Alves.

SINOPSE

Qual o percurso de um texto até chegar ao leitor? Através de um enredo tramado por linhas de fina ironia, diálogos bem construídos e narrativa sintética, a peça “Política da Editora” aborda os dispositivos de poder que permeiam as relações entre arte e mercado. Escritor, Editor, Revisora e Tradutora estão inseridos em uma cadeia produtiva, que captura o texto, processa-o em mecanismos de controle e finalmente o converte em fetiche de mercadoria.

EDUARDO ALEIXO (dramaturgo)

É bacharel pela Faculdade de Direito do Recife da Universidade Federal de Pernambuco e mestre pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco da Universidade de São Paulo. As suas pesquisas acadêmicas giram em torno da Filosofia e Teoria Geral do Direito, sobretudo no que concerne ao Movimento Direito e Arte.

Estudou dramaturgia na Escola Livre de Teatro de Santo André, na SP Escola de Teatro, no SESI-British Council e no Teatro J. Safra. Em 2015, com a peça “Política da Editora”, recebeu menção honrosa no Programa Nascente da Universidade de São Paulo, obteve o segundo lugar no Prêmio Martins Pena da União Brasileira de Escritores e venceu o Concurso Jovens Dramaturgos do Serviço Social do Comércio.

Ainda em 2015, com as cenas “Punir e Perdoar” e “Abandono Moral” da peça “Escola de Magistratura”, ganhou menção honrosa e ficou em segundo lugar no Prêmio Dramaturgia do Festival Niterói em Cena.

Em 2017, com as peças “Shite e Waki” e “Escola de Magistratura”, ficou em segundo e primeiro lugares no Prêmio Martins Pena da União Brasileira de Escritores. Também em 2017, com a peça “Escola de Magistratura”, venceu o DramaTEns, Concurso Anual de Dramaturgia do TEatroensaio (Portugal).


CINTIA ALVES (diretora)

É bacharela em Direção Teatral pela ECA-USP (1996), licenciada em Pedagogia pela Anhembi Morumbi (2016), pós-graduada em Jogos Cooperativos pela UNIMONTE (2011) e mestranda em Pedagogia do Teatro pela ECA-USP.

Trabalhou como coordenadora dos projetos de acessibilidade estética do coletivo de artistas-educadores GRÃO – Arte e Cidadania. Foi responsável pelos projetos de mediação em artes Coisolândia (2013) e Coisolância 2 – Silêncio e Sons (2015), em parceria com o Centro Cultural São Paulo. É conselheira de Acessibilidade do Centro Cultural São Paulo (2016-2018).

Dá aulas no Laboratório de Dramaturgia do Teatro J. Safra (2014-2015). Foi coordenadora pedagógica das Oficinas de Teatro Acessível (2016) e Cinema Acessível (2017), em parceria com o SESC Vila Mariana. Foi jurada do Prêmio Jabuti de Literatura na categoria Juvenil (2013), membro do júri finalista do Prêmio São Paulo de Literatura (2017) e  membro do júri do Prêmio Coca-Cola de Teatro Jovem (1998). Escreveu o livro de poesia para crianças “Poemas e Outros Bichos”, publicado pela Editora Quatro Cantos (2017).

Atualmente, encabeça a equipe de criação do GRÃO CULTURAL, empresa voltada ao desenvolvimento de projetos artísticos para públicos com e sem deficiência.

 

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia: Eduardo Aleixo

Direção: Cintia Alves

Assistência de direção: Leticia Soares

Elenco: Adriana Azenha, Eduardo Bartolomeu, Jany Canela, Miriam Limma e Rogério Favoretto

Assessoria de imprensa: Agência Fática

 

SERVIÇO

Política da Editora, da Casa Brasileira de Dramaturgia

SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt – Sala R1 – Praça Roosevelt, 210, Centro

Temporada: 1º de junho a 2 de julho

Às sextas-feiras, aos sábados e às segundas, às 21h; e aos domingos, às 19h

Ingressos: R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia) e R$ 10 (aprendizes da SP)

Vendas na bilheteria em dinheiro

Classificação: 12 anos

Duração: 50 minutos